1 de jun de 2012

AS ARMAS BIOLÓGICAS – O TERROR PERSISTE

Dando seqüência ao assunto da postagem anterior “Chemtrails e as Guerras Químicas”, exponho a seguir um pequeno resumo sobre alguns tipos de armas biológicas (vírus e bactérias manipulados). Estas armas são as mais terríveis e traiçoeiras, pois não podem ser vistas, não têm cor e não têm cheiro. Podem ser disseminadas no ar, na água e nos alimentos sem chamar a atenção. Os sintomas iniciais são parecidos em todos os casos, sempre se assemelhando à gripe, como a irritação da garganta, tosse e catarro, para em seguida aparecerem as lesões geralmente fatais. Abaixo uma breve relação de algumas armas biológicas mais conhecidas que foram desenvolvidas em laboratório pelo homem:

1 – Varíola – Uma doença que é adquirida através de vírus pelo ar, sua contaminação ocorre pela respiração. Pode ser disseminado por aerosol. Os sintomas iniciais se assemelham ao da gripe, ocorrem também erupções de pústulas (elevação da epiderme) na pele. Os Estados Unidos e a Rússia têm em seus laboratórios estoque suficiente desse vírus para um eventual ataque biológico.
Vítima da Varíola
2 – Ebola – O vírus causa quase que 100% de mortalidade. Seus sintomas são febre, dor de cabeça, falta de ar, diarréia com sangue e expectoração hemorrágica. Pode ser transmitida de uma pessoa para outra pela respiração, secreção e gotículas de tosse. Sua propagação pode ser feita por aerosol, contaminando também a água e alimentos. É de fácil cultivo e armazenamento. 
Vítima de Ebola
3 – Peste Bubônica – Transmitida a princípio pela pulga que contamina os animais domésticos e do campo, como também aos seres humanos. Pode ser disseminada também por aerossóis, mísseis e bombas. É de alta infecciosidade, transmissibilidade e mortalidade. Sua transmissibilidade pode durar por meses através do solo e água contaminados. Os sintomas iniciais se assemelham ao da gripe, com o surgimento de pústulas, gânglios (dilatação dos trajetos dos nervos) e úlceras na pele. A bactéria da peste bubônica seria cultivada em países do Oriente Médio, África e Sudeste Asiático. O Japão utilizou a bactéria como arma na II Guerra Mundial contra os chineses e os EUA nos anos de 1950 na Guerra da Coréia.
Vítima de Peste Bubônica
4 – Anthrax Nome derivado da palavra grega “anthrakis”, que significa carvão, que lembra as lesões pretas que essa bactéria causa na pele. Uma bactéria que também pode ser disseminada pelos aerossóis, contaminando o ar, água, solo e alimentos. Borrifado por aviões numa área de 2 km, pode se estender seu alcance para 20 km, com a ajuda do vento. È incolor e sem cheiro. Os sintomas iniciais se assemelham ao da gripe, com catarro, manchas, vesículas na pele e doenças gastrointestinais, evoluindo para hemorragia, edema pulmonar e falência dos órgãos. Causa ainda a meningite. Centenas de milhares do bacilo (bactéria em forma de bastonete) cabem num tubo de ensaio. 
Vítima de Anthrax
5 – Toxina Botulínica – O agente Clostridium Botulinum é de 10 mil a 100 mil vezes mais potente do que qualquer outra toxina. De alta mortalidade, causa uma paralisia progressiva de músculos e aparelho respiratório, causando falta de ar. Disseminado sobre a água e estoque de alimentos, não há como reverter a contaminação. Usado também em clínicas estéticas autorizadas para amenizar as marcas e rugas do rosto. O Japão, EUA e Rússia, admitiram pesquisas para o desenvolvimento da toxina como arma biológica, assim como o Iraque antes da Guerra do Golfo.
A Toxina mortal também usada em clínicas estéticas
6 – Toxina T-2 – Muito resistente ao calor, deriva de fungos de vários alimentos como milho e trigo, ocorrendo com facilidade em ambientes de estocagem de grãos. Os sintomas iniciais se assemelham aos da gripe, mas provocam também alterações cardíacas; tontura; convulsões; irritação na garganta; diarréia e dores abdominais; destruição dos tecidos que se multiplicam, como a medula óssea; causando a morte por hemorragia. Permanece muito tempo no ar, provocando assim alta intoxicação. Pode ser disseminado por aerossóis. 
Vítima de Toxixa T-2
7 – AIDS – Ou SIDA (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida). Inicialmente classificada preconceituosamente como uma doença social infecciosa desenvolvida apenas entre os homossexuais, teria surgido na África na década de 1970, sendo transmitida ao homem por sangue contaminado de macacos. Mas há estudos que indicam que o vírus do HIV foi artificialmente desenvolvido em laboratório para despovoar os países do 3º mundo, que seriam uma futura ameaça à segurança e bem estar da elite mundial que já se preocupava com o desenfreado aumento populacional no planeta e a provável escassez de alimentos. Só que não contavam com a promiscuidade humana que ajudou o vírus se espalhar também nos países desenvolvidos. Investigações independentes afirmam que o vírus só poderia ter sido criado em laboratório especializado, para muitos no Centro para o Controle de Doenças, em Atlanta, nos EUA. Essa acusação está baseada nos documentos vazados do governo norte americano, como o National Security Study Memorandum (NSSM 200), redigido em 1974, pelo até então respeitável Conselheiro Nacional de Segurança, Henry Kissinger, tornado público em 1990. Estudos também mostraram que a raça negra é mais sensível ao HIV, apesar da AIDS ter se espalhado em todo o mundo, independentemente da cor da pele do portador. Os principais fatores de transmissão estão nas relações sexuais sem preservativos entre homossexuais ou heterossexuais que têm mais de um parceiro; também no uso em comum de seringas com agulhas contaminadas entre os viciados de drogas injetáveis; na gravidez de mães contaminadas que passam o vírus para os filhos pelo cordão umbilical; e nas transfusões de sangue sem controle e exames adequados. Segundo estimativas, a AIDS já matou mais de 20 milhões de pessoas em todo o mundo e mais de 40 milhões se encontram infectados atualmente, sendo que cerca de 14.000 casos são descobertos diariamente.
Vítima de AIDS
Por Eumário José Teixeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário