9 de mar de 2012

RABINOS JUDEUS SE DECLARAM CONTRA O SIONISMO

1 - Essa é uma transcrição resumida de um vídeo (postado no youtube com tradução em espanhol e traduzida por mim em português) de uma conferência em que palestrou um grande rabino anti-sionista. Nela o rabino denuncia o sionismo como um pensamento destruidor da religião e da humanidade, destacando seus crimes cometidos contra o povo palestino.

As palavras do rabino:“Eles presumem representar os judeus, mas o sionismo é uma agressão à entidade judia.”
“Por isso todo judeu consciente deve expor ao mundo inteiro que o sionismo é um inimigo da Torah e da humanidade.”
“O sionismo em geral é um pensamento colonialista e assim o demonstra em suas agressões ao povo palestino.”
“O sionismo tem convertido a maioria dos judeus em agnósticos ou em sionistas fanáticos e criminosos com fobia aos árabes e aos muçulmanos, enquanto o judaísmo crê que os pecados dos judeus lhes causou a diáspora e que não haverá reunificação até que não vingue o messias.”
“Até então os judeus devem ser bons cidadãos onde habitem e ser um exemplo em servir a humanidade.”
“E que não tentem governar a Palestina e nenhuma parte do mundo.”
“A Palestina histórica e Jerusalém são do povo palestino atual.”
“Não há conflito entre o Judaísmo e o Islã, o sionismo é um inimigo comum para ambos.”
“Antes que aparecesse o sionismo os judeus e muçulmanos conviviam em harmonia em pátrias comuns na Palestina e em outras partes do território turco-otamano.”
“O sionismo é um perigo para o judaísmo já que o sionismo e o judaísmo são linhas opostas.”
“Façamos um chamamento para criar uma aliança judia-islâmica de amizade para orarmos juntos e pedir a Deus que livre Jerusalém e os inocentes palestinos dos criminosos sionistas.”
“Deus proteja aos que seguem sua senda para restabelecer sua justiça e todos os esforços para proteger a irmandade em toda a humanidade.”
“Temos o dever de livrar Jerusalém das garras do sionismo, para que seja a capital da Palestina histórica.”

Obs.: No vídeo não identificaram o rabino palestrante e nem dataram a data do evento.

Pequeno Glossário:
Diáspora: Dispersão de povos por motivos religiosos ou políticos.
Sionismo: Estudo das coisas relativas aos judeus; doutrina e movimento que propôs e conseguiu o estabelecimento de um Estado de Israel autônomo.
Anti-semitismo: Preconceito contra os semitas, e particularmente os judeus.
Semita: Indivíduo dos semitas; família etnográfica e lingüística, que compreende os hebreus, os assírios, os aramaicos, os fenícios e os árabes; adjetivo referente aos semitas ou a Sem, filho de Noé.
Torah: A Lei Mosaica (relativo a Moisés); o livro que contém essa lei; o Pentateuco; os cinco primeiros livros do Velho Testamento.
Agnosticismo: Doutrina que considera o absoluto inacessível ao espírito humano. É a crença de que a existência de Deus é impossível de ser conhecida ou provada. A palavra “agnóstico” significa essencialmente “sem conhecimento”, o agnosticismo é uma forma intelectualmente mais honesta do ateísmo.


2 - Transcrição da entrevista do rabino anti-semitista Yisroel David Weiss concedida a um repórter da Fox New Channel, postada no Youtube.
Entrevistador – Se resolveria todo o conflito no Oriente Médio se Israel deixasse de existir? Meu convidado diz que Israel não somente rompe com a Lei Judia com seus ataques militares contra o grupo terrorista Hamás, como o estado de Israel a princípio não deveria existir. O mais desconcertante é que a pessoa que diz isso é um rabino. Ele é David Yisroel Weiss membro da Jews Against Zionism (Judeus contra o Sionismo). Rabino, palavras fortes, não?
Rabino – Assim parece. Mas essa é a visão que tem sido defendida por todos líderes religiosos. Quero dizer, durante os últimos 100 anos quando foi criado o movimento sionista, o pensamento, a ideologia de transformar a fé judia, algo espiritual em algo material ou em um território físico e nacionalista, todas as autoridades religiosas já haviam condenado. Tudo que representava o sionismo era expressamente proibido na Torá, porque fomos exilados por Deus...
Entrevistador – Mesmo assim não deveria ter ao menos sua própria terra ou um país? Ao menos ter seu próprio governo?
Rabino – Não deveríamos ter um estado. Deveríamos estar vivendo entre todas as nações, tal como fizeram os judeus durante dois mil anos, como cidadãos leais, mas servindo a Deus, estimulando a compaixão. A Torá indica claramente, que se não respeitarmos a este mandamento, as conseqüências serão catastróficas para os judeus. Portanto, desde a criação do estado de Israel, o sangue não cessa de derramar e permanece o sofrimento, tanto para os judeus como para os não judeus. Contrariamente ao que as pessoas pensam que se trata de um conflito religioso, estávamos vivendo entre as comunidades muçulmanas e árabes durante séculos sem a necessidade de ONG dos direitos humanos nos vigiar...
Entrevistador – Permita-me perguntar-lhe rabino, o povo judeu vivia melhor anteriormente à criação do estado de Israel?
Rabino – Cem por cento. Na Palestina temos o testemunho da comunidade judia que vivia ali e em outras terras, que viviam em harmonia. E rogavam à ONU, rabinos que diziam: “Não queremos um estado judeu.” Os desejos dos habitantes, tantos muçulmanos, cristãos e judeus foram ignorados com a criação do estado judeu.
Entrevistador – Sem dúvida, mesmo que não tivessem um estado, vocês estão acostumados a serem perseguidos e massacrados ao longo dos milênios. Particularmente como ocorreu recentemente há uns 50 ou 60 anos atrás.
Rabino – Existe a perseguição por culpa do anti-semitismo, mas há outra causa que é quando você provoca e cria o anti-semitismo através do sionismo. Não é o mesmo que abrir suas próprias janelas e gritar “anti-semitismo”.
Entrevistador – Sei que o senhor é um judeu ortodoxo. Mas o que pensam os judeus tradicionais sobre a sua postura?
Rabino – Já que esta foi sempre a visão do povo judeu por todo o mundo...
Entrevistador – Sim, eu sei que sempre foi assim. Mas, como é agora?
Rabino - O que falamos é sempre sobre a perspectiva religiosa, porque estamos falando sobre o judaísmo. Não falamos como aqueles que estão abandonando o judaísmo. Como vê o judeu, a visão da maioria judia, é que não desejamos ter um estado. Mas, uma vez que o estado nasceu, a propaganda sionista passou a convencer ao judeu que havia um ódio árabe contra ele. E agora este medo prevalece e faz com que os judeus israelenses temam em devolver as terras.
Entrevistador – Bom, não é de se estranhar, temos o presidente do Irã que disse que o Holocausto nunca aconteceu e que se pudesse, destruiria Israel.
Rabino – É uma mentira. Outra mentira potencialmente falsa. O presidente do Irã tem uma comunidade judia em seu país, e não os assassinou a cada oportunidade.
Entrevistador – Então não leva a sério suas palavras quando ele disse que tentaria aniquilar os judeus?
Rabino – O que o presidente iraniano disse, ou propõe, é a abolição do estado de Israel. De fato, fomos com uma grande comissão de rabinos ao Irã neste ano que passou, estivemos com o vice-presidente, já que o presidente estava na Venezuela. Reunimos com todos os líderes religiosos e todos declararam que não tem conflito religioso em absoluto. Que só...
Entrevistador – Entretanto existe Israel. Rabino, crê que estamos à procura de problemas?
Rabino – Há judeus que estão sofrendo, palestinos, libaneses, orando pela paz e pela pronta desintegração do estado de Israel.
Entrevistador – Foi muito interessante. Não é muito comum se ter a oportunidade de escutar uma opinião parecida.
Rabino – Obrigado pela oportunidade.


Mais informações em:http://www.jewsagainstzionism.com/
http://www.investigar11s.org/

“OS ANTI-SEMITAS SÃO OS SIONISTAS!”

Nenhum comentário:

Postar um comentário