25 de fev de 2012

PROMETHEUS - IDOLATRIA, REBELDIA E MALDIÇÃO

Nunca fui um bom estudante, mas já nos tempos da escola primária eu já tinha a leitura como hábito, não me interessava tanto os livros de ciências ou matemática, mas sim os que tratassem de história antiga da humanidade, principalmente se neles encontrasse algo sobre os mitos de deuses gregos e romanos. Algum tempo depois eu viria a descobrir a relação direta entre tais deuses e os super-heróis das histórias em quadrinhos que eu também apreciava.
Hermes, Mercúrio, ou melhor, The Flash
Um exemplo: O deus grego Hermes (Mercúrio para os romanos), era o mensageiro de Zeus (deus dos deuses gregos), ou Júpiter, na versão romana. Hermes que era conhecido por sua rapidez, era também relacionado ao mercado, lucro e comércio, e serviu de inspiração para os criadores do super-herói dos quadrinhos norte-americanos, The Flash.
Um hábito que desenvolvi precocemente foi o de desenhar, alguns dizem que é dom, mas de qualquer forma desenvolvi tal habilidade copiando personagens das histórias em quadrinhos e figuras dos deuses mitológicos destacadas nos livros escolares ou em enciclopédias.
Juntando a tudo isso, tinham os filmes de Hollywood e as séries de TV que me fizeram desenvolver um bom senso de estética e olho clínico para apreciar os traços perfeitos de uma figura humana bem acabada.
Eu na minha ingênua ambição procurava alcançar dentro das minhas limitações no desenho a perfeição inigualável alcançada por Michelangelo na sua concepção de Davi ou na retratação de Mona Lisa por Leonardo Da Vinci, por exemplo.
Well, the time is gone..., hoje já não desenho mais, perdi a paixão pelos traços a lápis, mas ainda aprecio a boa arte em geral retratada num belo quadro, escultura, música, filme, etc.  


O fisiculturista Steve Reeves ou Hércules
Por falar em filmes, na minha meninice eu costumava assistir na TV, os filmes produzidos na década de 1950 sobre o semi-deus Hércules, que era interpretado pelo ator e fisiculturista o norte-americano Steve Reeves; seu físico era impressionante e eu queria ser como ele quando crescesse. Mas aí surgiu o “deus das artes marciais” Bruce Lee na minha pré-adolescência, então tive a certeza de que o ser humano poderia perfeitamente ser uma representação máxima da graça estética e atlética.
Bruce Lee esculpiu em si mesmo às custas de muito trabalho e suor, um corpo quase perfeito, se tornando um ídolo adorado mundialmente por todos os amantes das artes marciais e do fisiculturismo. Lee faleceu precocemente em 1973 aos 32 anos em circunstâncias ainda não totalmente esclarecidas, mas sua obsessão pela perfeição física e técnica era conhecida por todos que o rodeavam, e esta busca pela própria superação pode o ter levado a um colapso fatal. Na superstição chinesa, Lee teria nascido no ano do dragão (1940), e por ser chamado carinhosamente de “pequeno dragão” pela família e fãs desde cedo e ter alcançado muita fama com seus filmes, teria despertado ciúmes dos “deuses” que acabaram por lhe tirar a vida. E olha que o mitológico dragão para os chineses é um deus considerado benéfico e é muito adorado.
Está em Lucas 12:34 : “Porque, onde estiver o vosso tesouro, ali estará o vosso coração.” Eu tentei seguir os passos de Bruce Lee na minha juventude, cheguei a pensar que poderia ser como ele, treinei karatê, tentava imitá-lo, mas a vida me levou para outro caminho, ou melhor, Deus me desviou do caminho da idolatria. 

O físico esculpido de Bruce Lee
É claro que ainda admiro Bruce Lee como artista marcial e como um homem que enfrentou preconceitos e barreiras na América por ser de origem chinesa; respeito-o pelo que almejou e conquistou, mas ele era um ser humano atormentado por superstições e maldições hereditárias dos pais orientais que se chocavam constantemente com a também nociva cultura humanista ocidental.
Mas meu olho clínico para a estética ainda estava ativo e alguns anos atrás uma figura belíssima retratada numa revista de curiosidades me chamou a atenção instantaneamente. Era uma estátua dourada de um daqueles “deuses” da mitologia grega postada em frente ao complexo financeiro dos Rockefellers, no centro de Nova York. Ao ver a perfeição daquela figura e sua postura, algo me pareceu familiar, ela me lembrava alguém. Quem? Bruce Lee, é claro!
Logo pensei, eles plagiaram ou se inspiraram em Lee para esculpir tal estátua. A figura esculpida representa justamente Bruce Lee em seus famosos chutes voadores. É incrível a semelhança, ao menos para mim. E isso me perturbou, como eles podem simplesmente copiar Lee sem ao menos dar-lhe crédito? E o porquê do monumento neste lugar?
Fui então à procura de respostas e achei. A estátua foi feita em 1934, seis anos antes de Bruce Lee nascer, pelo artista Paul Manship (1885-1966), presume-se então que quem “copiou” algo aqui foi o próprio Bruce Lee quase 40 anos após a inauguração do monumento.

Paul Manship esculpiu Prometeu
A estátua dourada e feita de bronze é circundada por um anel com os 12 símbolos do zodíaco e está acima de uma fonte de água que jorra sem parar, pode ser vista de frente para a pista de patinação mais famosa do mundo, local também onde colocam uma enorme árvore para as comemorações de natal, que costuma ser exibida regularmente em filmes de Hollywood; tudo isso a frente de um complexo de 19 edifícios comerciais situado entre a 5ª e 7ª avenidas, em Nova York. 
A estátua de Prometeu em 1934


A imensa figura dourada representa Prometeu (ou Prometheus), “aquele que pensa antes”, um Titã que tentou enganar a Zeus e provocou a sua ira por sua simpatia aos seres humanos, e que segundo a mitologia grega, teve como punição ser preso a uma rocha e seu fígado comido por uma grande águia; sendo que o titã imortal tinha o seu órgão regenerado no dia seguinte para a ave de rapina tornar a comê-lo, o que causaria a Prometeu um tormento eterno; e assim seria se ele não fosse libertado por Hércules que matou a águia e o livrou das correntes.
Mas onde entra a idolatria nessa história? É simples, a família Rockefeller é considerada uma das 13 mais influentes e poderosas do mundo industrial e bancário, sua influência abrange os mais variados setores, passando pela economia, comércio, artes, mídia em geral, religião e política. Sobre o patriarca John D. Rockefeller (1839-1937) já foi dito: “Deus fez o mundo, mas John Rockefeller que o organizou”; a família Rockefeller é a mais odiada dos Estados Unidos pelo seu histórico de conquistas inicialmente no mercado do petróleo, às custas de corrupção de juízes e políticos, chantagem, espionagem industrial, sabotagem e violência. John Rockfeller fundou em 1870 aos 31 anos de idade a Standard Oil Company padronizando o mercado do petróleo nos Estados Unidos ligando o refino, transporte e comercialização à produção do combustível. 

John D. Rockfeller

Em poucos anos Rockefeller já havia incorporado mais 70 empresas à Standard Oil formando seu império petrolífero. Quem está atualmente no comando dos negócios é o já idoso David Rockefeller (nascido em 1915).
A estátua de Prometeu bem em frente do complexo de prédios tem um simbolismo oculto pouco divulgado. De acordo com a mitologia grega Prometeu se rebelou contra Zeus e roubou o fogo dos deuses trazendo-o aos homens que ele mesmo criou a partir da argila e da água; deu-lhes também o conhecimento da agricultura, pesca, comércio, profecia, astronomia e de tudo que levou ao desenvolvimento da humanidade na independência de Zeus.
Por trás da estátua na praça do Rockefeller Center está escrito: “Prometeu professor, em qualquer outra arte, trouxe o fogo que tem provado aos mortais, um meio para fins poderosos.”
Prometeu seria o “portador do fogo”, e ao trazê-lo para humanidade, ele habilitou os seres humanos a desfrutar das “coisas divinas” e até lhes permitiu se tornar deuses. Por isso Prometeu é especialmente cultuado nas sociedades secretas, ele representa o máximo do conhecimento das escolas do saber oculto e a ascensão do homem à divindade e a imortalidade por seus próprios meios. O ato de “carregar a tocha” simboliza que o homem tem consciência de sua “centelha divina” e, portanto, pode aspirar a se tornar um deus.

Prometeu e o Rockfeller Center
A elite do mundo compartilha tais ensinamentos e crenças de origem nas irmandades Maçonaria, Rosa-Cruz e Illuminati. Por isso, a tocha de Prometeu que ilumina a mente humana é frequentemente encontrada no simbolismo da elite ocultista.
Da mesma forma, a tocha pode ser vista na Estátua da Liberdade em Nova York, dada de presente à cidade por um maçom francês; como também é o principal símbolo dos jogos olímpicos, pois sua passagem por diversos países ao ser carregado por um atleta de renome nacional (representando Prometeu) até chegar à sede dos jogos, significa que o “fogo da tocha” ou a “luz” está acessível a qualquer mortal. Um verdadeiro ritual de rebeldia pagão.
Não se esqueçam que neste ano teremos as olimpíadas de Londres 2012, prestem atenção na festa de abertura e a todo simbolismo pagão que será exposto.
Ora, está bem claro aqui que os Rockfellers fizeram uma apologia à Lúcifer, o anjo caído, que se tornou Satanás ao se rebelar contra o Deus único e verdadeiro e que tentou à Eva e esta a Adão, oferecendo-lhes o fruto da árvore do conhecimento do bem e do mal e prometendo-lhes a independência de Deus. Por conseqüência dessa rebelião resultou para toda a humanidade a condenação ao fogo eterno.
Os Rockefellers simplesmente usaram a imagem de Prometeu para disfarçar sua adoração e idolatria à rebeldia do inimigo de Deus e da humanidade, Satanás. E milhares de turistas patinam e dançam aos pés de Prometeu anualmente sem saber que estão homenageando a um ídolo pagão e diabólico.

O anjo caído ou Satanás

Os Rockfellers são também conhecidos pela sua relação com o governo vigente da Nova Ordem Mundial e seus simbolismos estão evidentes no próprio complexo financeiro.
Além da estátua de Prometeu estão outras imagens: a de um homem e de uma mulher que representam criação da raça humana pelo titã rebelde; e a do gigante Atlas, condenado por Zeus a sustentar os céus por toda a eternidade, sendo que a enorme figura está numa posição tal como a de Jesus carregando a cruz com os braços abertos, justamente de frente para a igreja de Saint Patrick.
Há também no alto do topo da entrada, uma imagem em relevo de um velho barbudo segurando um enorme compasso apontado para baixo, uma clara referência ao deus maçônico GADU (grande arquiteto do universo); e outro relevo com espadas e um arado na parede com as citações do livro de Isaías 2:4, logo abaixo.
Vigiem e façam um auto-exame, o que realmente é importante para você atualmente, onde está o seu coração, no seu emprego, em alguma festividade pagã, em algum ídolo global do esporte ou da música imposto pela mídia, num falso profeta, ou em Deus?

O deus G A D U  maçonico, com o compasso
Êxodo 20:1-6: “Então falou Deus todas estas palavras, dizendo: Eu sou o Senhor teu Deus, que te tirei da terra do Egito, da casa da servidão. Não terás outros deuses diante de mim. Não farás para ti imagem de escultura, nem alguma semelhança do que há em cima nos céus, nem em baixo na terra, em nas águas debaixo da terra. Não te curvarás a elas nem as servirás; porque eu, o Senhor teu Deus, sou Deus zeloso, que visito a iniqüidade dos pais nos filhos, até a terceira e quarta geração daqueles que me odeiam. E faço misericórdia a milhares que me amam e aos que guardam os meus mandamentos.”
Prometeu, uma adoração disfarçada à rebeldia de Lúcifer

Ainda em tempo: Será lançado em junho de 2012 um filme de Ridley Scott que possivelmente será intitulado “Prometheus”. Tudo indica, mas não está confirmado, que será uma versão de ficção científica sobre o mítico Prometeu. Basicamente o enredo seria que na Terra em 2058, pesquisadores descobrem evidências de uma civilização extraterrestre que seriam os responsáveis pela criação dos seres humanos e indícios de sua localização no espaço. Uma missão da Terra parte em seguida para encontrar com os “deuses-ets” criadores. O filme será uma forma disfarçada de adoração ao ídolo pagão grego, vamos aguardar.

Por Eumário J. Teixeira.

Um comentário:

  1. Eumário, texto muito interessante e preocupante , compartilho sua opiniaõ. O que podemos fazer é seguir em frente sendo o melhor que puder-mos ser em todos os aspectos de nossas vidas. E nos esforçar pra fazer o bem. Parabéns pelo texto que na verdade é um alerta só não vê quem não quer . Abraços.

    ResponderExcluir