10 de jul de 2009

MAHALIA JACKSON - MUITO LOUVOR E FÉ

Sabe-se que Mahalia nasceu com o dom de cantar. Desde menina soltava sua voz sem medo de ser feliz. Certamente sua freqüência aos cultos dominicais da Igreja Batista lhe despertaram a aptidão para o canto, mais precisamente para o louvor a Deus. Mahalia não teve uma vida fácil, teve que se virar desde cedo para se sustentar e ajudar em casa. Ainda criança foi babá, na adolescência lavou roupas para famílias de melhor condição e a seguir foi camareira em um hotel de Chicago, Illinois, para onde teve que se mudar pelo fato de sua mãe ter falecido, indo morar com os tios que a adotaram aos 5 anos de idade. Mas durante todas as tarefas que desenvolveu nunca deixou de cantar, pois o canto alimentava seu espírito e a fortalecia para os futuros desafios. Já adulta, com instinto empreendedor, abriu um instituto de beleza, e enquanto cuidava dos cabelos das clientes, soltava a voz para descontrair o ambiente. Sua perseverança a levou até a ser dona de uma rede de hotéis, seu destino então seria fatalmente de uma empresária bem sucedida, certo? Não foi bem assim, pois Deus tinha outros planos para ela, era o de louvar o Senhor, o que simplesmente ela sabia fazer muito bem desde a infância. E assim foi fielmente por toda a sua vida. 
Take my hand precious Lord ...
Nos anos de 1930 ela já tinha desenvolvido um estilo único de cantar, combinando a energia do blues com a paixão sagrada do spiritual. Mahalia nasceu em 26 de outubro de 1911 na cidade de New Orleans, estado de Louisiana, no mesmo ano em que geralmente se atribui ao nascimento do jazz, gênero musical que foi desenvolvido num bairro negro e pobre, mais precisamente na Water Street, naquela cidade de predominância negra e influenciada pela cultura européia, principalmente por imigrantes de origem francesa. Mas o jazz era considerada música profana pelos seguidores do Senhor e Mahalia foi criada num ambiente completamente diferente do mudano. Ela se desenvolveu no canto inicialmente apenas imitando as cantoras veteranas da igreja. Só que ela não se limitou apenas a alcançá-las, ela as superou, deixando o estilo tradicional e bem-comportado de cantar spirituals ao incrementar às suas interpretações, o “fogo” dos cultos pentecostais, onde se ouvia um louvor sincopado e caloroso que era apoiado por percussão, trombones, trompetes e guitarra. O que ela pudesse incorporar ao seu canto e que não fosse ultrajante a sua fé, ela o fazia. Uma das coisas que mais lhe chamava a atenção, era a atuação das bandas de jazz que acompanhavam os cortejos fúnebres tradicionais de New Orleans, onde as marchas tristes eram tocadas na ida para o cemitério e as vibrantes e alegres na volta, festejando a vida. O blues a influenciou também desde menina, pois na casa dos tios, seu primo ouvia, dentre outros, discos da Imperatriz do Blues, Bessie Smith, que abusava dos tons melancólicos e que também era influenciada pelos spirituals. 
Mahalia canta o evangelho de Jesus Cristo
Mas apesar das influências musicais mudanas, Mahalia nunca abandonou os princípios cristãos da igreja batista, mesmo sendo assediada pelo conceituado maestro e músico Earl Hines, que se apresentava com a própria Bessie Smith. Ele queria Mahalia na sua banda, já que sua capacidade como vocalista já era reconhecida entre os músicos de jazz de Chicago. Mahalia recusou o convite sem vacilar se integrando a um grupo vocal da igreja acompanhada por três vocalistas masculinos. Logo se tornou a solista do grupo e acabou por conhecer Thomas Dorsey, que era branco, e um respeitado compositor de músicas gospel, com quem formou uma dupla vencedora, fazendo-a sair em definitivo do anonimato. Aos 24 anos, Mahalia casa-se com Ike Hockenhull, que tinha como ocupação o serviço de carteiro. Em 1939 ela faz algumas gravações para a Decca que deram pouco retorno, fazendo-a sofrer pressão do marido para que gravasse música comercial e profana, o que foi prontamente recusado por Mahalia, culminando assim na separação do casal. Foi nessa época que abriu seu salão de beleza e paralelamente se apresentava em cerimônias religiosas. Volta a gravar em 1946 pela Apollo e finalmente em 1947 com “Move On Up A Little Higher” fica conhecida em todo o país. Na Apollo evidenciou-se a bem sucedida parceria com o pianista Mildred Falss. Com o sucesso das gravações, Mahalia se tornou a voz oficial da Igreja Batista viajando por todos os cantos dos Estados Unidos. Mas seu gospel diferenciado a fez ser aclamada também no mundo profano do jazz, por isso foi acusada de vender seu canto sagrado. 
Mahalia Jackson - "My God is real..."
Mas ela rebatia dizendo que o gospel fazia bem as pessoas independente de ser comercial. Na década de 1960, durante o movimento contra a segregação racial nos EUA e a luta pelos direitos civis dos negros, ela não ficou à parte e não escondia seu apoio, mesmo de forma contida, ao líder negro Martin Luther King, cantando em suas assembléias que atraíam milhares de pessoas contra o racismo. Seu canto já denunciava a condição miserável do negro naquele país, principalmente no sul, e em suas letras de fundo religioso, podia-se perceber algumas referências aos tormentos da raça. O canto de Mahalia Jackson era vibrante, suas interpretações foram definitivas e foram definidas pelo seu espetacular domínio técnico, sua musicalidade e fervor. Uma de suas seguidoras mais famosas e que se tornou nos anos de 1960 um ícone do Soul, foi Aretha Franklin. 
O melhor de Mahalia em CD
Quando a esposa de Thomas Dorsey faleceu em virtude do nascimento do filho, em 1932, ele compôs o que é para muitos, o ‘gospel dos gospels`, a emocionante canção “Take My Hand, Precious Lord”, que foi traduzida para aproximadamente 50 línguas. Mahalia cantou este clássico no funeral de Martin Luther King em 1968. Quatro anos depois, em 27 de janeiro de 1972, em Chicago, uma Aretha Franklin emocionada cantou a mesma canção no funeral de Mahalia Jackson, a maior cantora de spirituals, hymns e gospel de todos os tempos.

Outros fatos Importantes sobre Mahalia Jackson:

- A gravação em 1947 de "Move On Up A Little Higher" por Mahalia , aos 36 anos, vendeu 8 milhões de cópias.
- Em 1950 Mahalia se torna a primeira cantora gospel a se apresentar no Carnegie Hall de New York.
- Em 1952, durante sua turnê pela Europa, Mahalia foi aclamada pela crítica como a maior cantora gospel de todos os tempos.
- Mahalia foi a primeira cantora gospel a se apresentar no The Newport Festival em 1958 e 1959.
- Em 1959, Mahalia fez uma "ponta" no filme "Imitação Da vida" (Imitation Of Life), dirigido por Douglas Sirk e estrelado por Lana Turner e Sandra Dee.
- Em 1961, cantou na posse do presidente John F. Kennedy.
- Em 1963, cantou para 250.000 pessoas na cerimônia em que Martin Luther King fez o famoso discurso "I Have A Dream".
-Em 1978, Mahalia Jackson entra postumamente para a galeria do Gospel Music Of Fame.

Mahalia e Elvis
- Alguns dos clássicos de Mahalia Jackson, que reunia gospels e spirituals:
“Didn´t It Rain?”(Não Choveu?); “My God Is Real(Yes, God Is Real)”(Meu Deus É Real-Sim, Deus É Real); “If I Can Help Somebody”(Se Eu Puder Ajudar Alguém); “I Found The Answer”(Achei A Resposta); “Elijah Rock”(Pedra de Elias); “Roll, Jordan, Roll”(Corre, Jordão, Corre); “Trouble Of The World”(Problemas Deste Mundo); “Take My Hand Precious Lord”(Tome Minha Mão, Precioso Senhor); “Joshua Fit The Battle Of Jericho”(Josué Vence A Batalha de Jericó); “If I Could Hear My Mother Pray Again”(Se Eu Pudesse Ouvir Minha Mãe Orar Novamente) e “Amazing Grace”(Incrível Graça ). 

Um Link do you tube onde se pode assistir Mahalia Jackson cantando "We Shall Overcome": http://www.youtube.com/watch?v=TmR1YvfIGng

Por Eumário J. Teixeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário