10 de abr de 2016

CARRÕES FAMOSOS DA TV E DO CINEMA – PARTE III – Mad Max Interceptor


A melhor surpresa para mim no final da década de 1970 e início dos anos de 1980, em se tratando de filmes da ação, foi o surgimento do personagem Mad Max e seu carro patrulha Interceptor. A saga do patrulheiro australiano Max Rockatansky (interpretado pelo jovem Mel Gibson) era uma tremenda inovação para os filmes de ação e perseguição com carros e motos, destacando-se novos enquadramentos de câmeras, as altíssimas velocidades e os personagens surreais inseridos num cenário de vastidão desértica e futurístico que ainda proporcionava uma sensação de infinita liberdade naquelas longas retas das rodovias do interior da Austrália. 

O Interceptor V-8 turbinado do patrulheiro Max Rockatansky
Tudo fugia da mesmice e dos clichês dos filmes hollywoodianos e eu adorei. Mad Max me pareceu uma espécie de histórias em quadrinhos animada. Mas o que mais me fascinou foi o Interceptor, o carrão negro turbinado com motor V-8 movido a gasolina ou gás metano que Max utilizava para limpar as rodovias dos salteadores baderneiros e suas motos envenenadas.

As capas dos dvds das três sequências iniciais de Mad Max com Mel Gibson e a última com Tom Hardy
O filme Mad Max foi lançado em abril de 1979 na Austrália, a produção foi totalmente australiana e dirigido magnificamente por George Miller, com então jovem ator Mel Gibson no papel principal. No Brasil, Mad Max estreou em 15 de setembro de 1980.

Mad Max (1979) com Mel Gibson
O original sempre é melhor, Mad Max e o turbinado Interceptor
O carrão patrulha de motor V-8 de Mad Max, era na verdade um modelo XB GT Ford Falcon Coupe, fabricado exclusivamente na Austrália em 1973.

O Ford Falcon 1973 original e o resultado da transformação: O Interceptor
A transformação do Ford Falcon para o Interceptor se deu a partir de 1976, quando os cineastas Byron Kennedy e George Miller começaram a pré-produção do filme e já imaginavam um carro-patrulha negro e ameaçador de alta performance que denominariam “Interceptor” e que traria terror às gangs de rodovias.
O customer Murray Smith foi contratado para fazer essa transformação no Ford Falcon.  Finalmente com a ajuda de Peter Arcadipane e Ray Beckerley começaram a modificar o carro. O resultado foi compensador,  um carro negro belíssimo mantendo as linhas arrojadas originais e o motor V -8, um compressor ou supercharger no meio do capô, 4 tubos de escapamento em cada lateral traseira e um pára-choque baixo e reforçado. É bom ressaltar que o volante dos carros australianos é do lado direito e esse detalhe dava um charme extra para o Interceptor. Curiosamente só foi produzido um carro Interceptor para Mad Max filmado em 1979, devido ao baixo orçamento.

O Interceptor e o Carro Patrulha convencional usado pelos patrulheiros em Mad Max I
Após concluir sua vingança, Max Rockatansky se torna um errante guerreiro das rodovias
A parte triste da saga do Interceptor, é que na sequência da série, em Mad Max 2 – A Caçada Continua (Mad Max 2 – The Road Warrior, de 1981), o carrão simplesmente é destruído pouco antes da metade do filme durante uma perseguição, ao capotar e explodir, sendo a última performance do Interceptor nas telas com Mel Gibson no papel principal. 

Em Mad Max II, o Inteceptor está surrado e sem brilho, mas continua potente...

O solitário Max no segundo filme tem um cão fiel como companheiro de estrada

Isso para mim foi um tiro no pé dado pelos produtores, mas o personagem Mad Max conseguiu se sustentar sem o Inteceptor. Foi lamentável, mas para o consolo dos fãs, as réplicas do carrão de Mad Max se multiplicaram por todo o mundo, principalmente no seu país de origem, em exposições e shows, sem falar nas miniaturas apreciadas pelos colecionadores.



Acima, miniaturas do Interceptor Ford Falcon V-8


Detalhes do interior do Interceptor
O carrão era tão cult, que mesmo aparecendo no Mad Max 2 já todo surrado e detonado, ainda assim mantia seu magnetismo, era só ouvir o ronco do V-8 que já dava para arrepiar. Ficava me imaginando guiando o Inteceptor surrado numa longa e reta estrada para a liberdade escutando um bom e velho rock & roll. Bons tempos que não voltam mais.



Acima, uma réplica do Interceptor
Mas o que me conforta hoje são as cópias dos filmes (principalmente do I e do II) e as imagens de 37 anos atrás que nunca serão apagadas da minha mente. Mad Max teve a terceira parte filmada em 1985, sob o título Mad Max – Além da Cúpula do Trovão (Mad Max Beyond Thunder Dome) com a participação da cantora de soul e pop rock, Tina Turner, que contribuiu também para a trilha sonora do filme. Essa sequência foi a mais fraca das três filmadas com Mel Gibson e, infelizmente, o Interceptor já era uma lenda. 


Recentemente outra versão para Mad Max foi filmada em 2015, Mad Max: Estrada da Fúria (Mad Max: Fury Road), com Tom Hardy no papel de Max Rockatansky e com produção mista da Austrália e EUA. O Interceptor aparece brevemente no início do filme e é destruído após uma capotagem numa breve perseguição por uma gang motorizada no deserto. Nessa versão o próprio Mad Max tem um papel quase que secundário, pois Furiosa (interpretada por Charlize Theron) parece ter mais destaque. Fazer o quê, a indústria parece adorar destruir o que inicialmente deu certo...

Por Eumário J. Teixeira

Nenhum comentário:

Postar um comentário