4 de dez de 2011

MOCINHOS E BANDIDOS – A Versão Romântica das Telas


Para quem gosta do gênero de bang-bang, alguns filmes e seriados aqui listados são essenciais para qualquer colecionador. É diversão garantida, sem falar que é interessante comparar as diferentes versões de um mesmo personagem representado por atores consagrados ao longo de tantas décadas da história do cinema e televisão. Assim relacionei algumas películas de faroeste que retrataram (e romantizaram) a vida ou passagens marcantes de figuras como Wyatt Earp, Doc Holliday, Wild Bill Hickock, Buffalo Bill, General Custer, etc.

1 – Versões para Wyatt Earp e Doc Holliday - Filmes

I – A Lei da Fronteira (Frontier Marshall)
Ano: 1939
Direção: Allan Dwan
Roteiro: Stuart N. Lake e Sam Hellman
Elenco:
Randolph Scott – Wyatt Earp
Cesar Romero – Doc Holliday
John Sawyer - Curley Bill
Binnie Barnes – Jerry (Big Nose Kate)
Nancy Kelly – Sarah Allen
Comentário: Uma das primeiras e boas versões sobre as façanhas da dupla Wyatt Earp e Doc Holliday. Randolph Scott interpreta um Wyatt Earp sóbrio e comedido que controla as situações conflituosas na cidade com ponderação e que usa a força na medida apropriada; já Cesar Romero encarna um Doc Holliday elegante, mais provocador e sarcástico, apesar de seu sofrimento com a tuberculose. A interpretação de Cesar Romero deve ter influenciado Val Kilmer em Tombstone (1993). Doc neste filme está atrelado a uma mulher freqüentadora de saloons, Jerry, interpretada por Binnie Barnes que não lhe dá tréguas mesmo após a chegada de sua ex-noiva (Nancy Kelly) formando o triângulo amoroso e explosivo. A personagem “Jerry” seria na realidade a amante de Doc Holliday conhecida historicamente como Big Nose Kate. Wyatt Earp (Randolph Scott) fica mediando as rivais enquanto ao mesmo tempo tenta conter o gênio explosivo de Holliday. Três falhas históricas no filme: Doc Holliday é assassinado à traição por Curley Bill e seu bando, depois de operar um menino baleado, sendo que o Doc Holliday, na realidade era um dentista formado e não um médico cirurgião; e logo após a morte de Holliday, Wyatt Earp vai sozinho ao O. K. Curral enfrentar o bando de Curley Bill, sendo que historicamente ele foi acompanhado pelo próprio Holliday (que saiu apenas ferido) e seus irmãos Virgil e Morgan, que inclusive não são mencionados na película.

II – Paixão dos Fortes (My Darling Clementine)
Ano: 1946
Direção: John Ford
Roteiro: Samuel G. Engel e Wilton Miller
Elenco:
Henry Fonda - Wyatt Earp
Victor Mature - Doc Holliday
Tim Holt – Virgil Earp
Ward Bond – Morgan Earp
Grant Withers – Ike Clanton
John Ireland – Billy Clanton
Comentário: A história culmina com o famoso duelo no O. K. Corral entre os Earp e os Clanton. O filme trata também da amizade entre Wyatt Earp e Doc Holliday, como também do relacionamento tumultuado entre Doc, as cartas e sua amante (que seria Big Nose Kate). Uma falha no contexto histórico é que no filme o tuberculoso Doc Holliday (Victor Mature) participa do duelo no O. K. Corral (como de fato assim foi), mas apesar ter sido importante para o resultado final, acaba por morrer baleado no confronto, segundo essa versão.

III – Sem Lei e Sem Alma /ou/ Duelo de Fogo (Gunfight At The O. K. Corral)
Ano: 1957
Direção: John Sturges
Roteiro: Leon Uris
Elenco:
Burt Lancaster: Wyatt Earp
Kirk Douglas: Doc Holliday
John Hudson: Virgil Earp
DeForest Kelly: Morgan Earp
Martin Milner: James ‘Jimmy’ Earp
John Ireland: Johnny Ringo
Comentário: O ápice do filme é o famoso duelo no O. K. Corral entre os Earp contra os Clanton e Johnny Ringo. Kirk Douglas interpreta um Doc Holliday atormentado pela tuberculose e dependente dos cuidados da sua infiel amante Kate, retratando-o como um jogador compulsivo e um pistoleiro com tendências quase suicidas. E o filme valoriza em muito a suposta rivalidade existente entre Doc Holliday e Johnny Ringo. Wyatt Earp, retratado por Burt Lancaster, é um personagem centrado e objetivo mas também dependente da habilidade com as armas de seu amigo Doc Holliday. Nessa versão mostra Wyatt Earp se envolvendo com uma mulher sedutora que freqüenta o saloon e aprecia o jogo de cartas, mas omite que na vida real Wyatt era casado uma mulher problemática e doente e se divorcia para ficar com uma atriz de teatro.

IV – A Hora da Pistola (Hour Of The Gun)
Ano: 1967
Direção: John Sturges
Roteiro: Edward Anhalt
Elenco:
James Garner - Wyatt Earp
Jason Robards – Doc Holliday
Frank Converse – Virgil Earp
Sam Melville – Morgan Earp
William Windom – Texas Jack Vermillion
Robert Ryan – Ike Clanton
John Voight _Curly Bill Brocius
Comentário: O filme retrata os supostos acontecimentos após o confronto entre os Earp e os Clanton no O. K. Corral, onde os sobreviventes do bando da família Clanton acabam por assassinar Morgan Earp e ferem Virgil Earp por vingança e são perseguidos implacavelmente por Wyatt Earp, Doc Holliday e demais agentes nomeados.

V – Massacre de Pistoleiros (Doc)
Ano: 1971
Direção: Frank Perry
Roteiro: Pete Hamill
Elenco:
Stacy Keach – Doc Holliday
Harris Yulin – Wyatt Earp
Faye Dunaway – Kate
Michael Witney – Ike Clanton
John Bottons – Virgil Earp
Ferdinand Zogbaum – James Earp
Philip Shafer – Morgan Earp
Comentário: No filme a figura central é o pistoleiro e jogador tuberculoso Doc Holliday. Doc (Stacy Keach) é amante da prostituta Big Nose Kate, interpretada pela belíssima Faye Dunaway, que corresponde ao amor de Holliday, abandona a vida fácil e passam a dividir o mesmo teto. Doc está a caminho de Tombstone em apoio ao delegado e amigo Wyatt Earp que está com problemas com uns fazendeiros e arruaceiros locais e concorre também à eleição para xerife. A figura de Wyatt Earp no filme não é preservada e é mostrada como um sujeito calculista, ambicioso e que abusava de sua autoridade e manipulava até seus irmãos Virgil e Morgan para conseguir seus objetivos políticos e econômicos, ao contrário de Doc que é retratado como um herói que equilibra a balança, apesar dos seus problemas pessoais e que busca um sentido para sua vida. O ápice do filme é o duelo no O. K. Corral onde nosso herói e os Earp enfrentam os Clanton que tem integrado em seu bando um jovem pistoleiro que foi aprendiz do famoso e temido Doc Holliday.

VI- Tombstone – A Justiça Está Chegando (Tombstone)
Ano: 1993
Direção: George P. Cosmatos
Roteiro: Kevin Jarre
Elenco:
Kurt Russel - Wyatt Earp
Val Kilmer – Doc Holliday
Sam Elliot – Virgil Earp
Bill Paxton – Morgan Earp
Michael Biehn – Johnny Ringo
Powers Boothe – Curly Bill Brocious
Comentário: A meu ver o filme foi a melhor versão filmada para Wyatt Earp e o confronto no O. K. Corral. Os personagens foram bem interpretados. Kurt Russel surpreendeu como um Wyatt Earp autoritário e obcecado pela justiça; Val Kilmer valorizou muito a figura carismática e dramática de Doc Holliday e seu sofrimento com a tuberculose, sua tendência para atrair encrencas e principalmente sua rivalidade com Johnny Ringo muito bem interpretado por Michael Biehn. A rivalidade entre os dois é bem explorada no filme e é culminada com um duelo a parte.

VII – Wyatt Earp (Wyatt Earp)
Ano: 1994
Direção: Lawrence Kasdan
Roteiro: Dan Gordon e Lawrence Kasdan
Elenco:
Kevin Costner – Wyatt Earp
Dennis Quaid – Doc Holliday
Michael Madsen – Virgil Earp
Linden Ashby – Morgan Earp
David Andrews – James Earp
Jim Caviezel – Warren Earp
Tom Sizemore – Bat Materson
Bill Pullman – Ed Masterson
Jeff Fahey – Ike Clanton
Comentário: O filme retrata a vida de Wyatt Earp desde a Guerra Civil Americana, quando ainda era um adolescente, suas aventuras como condutor de diligências até se tornar delegado e ter o famoso Bat Masterson como delegado auxiliar nas tumultuadas cidades próximas à fronteira com o México, passa pelo duelo no O. K. Corral e cobre a Vendeta de Wyatt Earp, onde ele junto à Doc Holliday e seus agentes perseguem o bando restante dos Clanton que assassinaram seu irmão Virgil, até se aposentar como administrador de saloons e explorador e minerador na sua velhice. Nessa versão o filme foca principalmente a tendência para negócios de Wyatt Earp, onde tudo para ele tinha uma perspectiva para investimento: jogos de cartas, saloons, minas de ouro e terras. Sua autoridade e influência sobre os irmãos fica evidente, o que gerou muito conflito com as outras esposas, aliás, sua esposa é retratada como tuberculosa e viciada em um remédio à base de cocaína, isso o empurrou para os braços de uma sedutora atriz de teatro que fazia uma turnê pelo Oeste selvagem; Wyatt se divorcia e vive o resto dos seus dias com a nova mulher. Doc Holliday bem interpretado por Dennis Quaid, não teve a mesma evidência como nas versões anteriores e sua rivalidade com Johnny Ringo passa quase que desapercebida.

1-A – Versões para Wyatt Earp – Seriados de Televisão:

I – Wyatt Earp (Life And Legend Of Wyatt Earp)
Ano: 1955-1961
Produção: Desilu Productions
Elenco:
Hugh O’Brien – Wyatt Earp
Alan Dinehart – Bat Masterson
William Phipps – Curley Bill Brocius
Comentário: Hugh O’Brien faz uma versão elegante e bem janota para um Wyatt Earp sem o seu famoso bigode, mas que tem como característica um colt 45 de cano longo e fora dos padrões no coldre direito, e um colt 45 padrão normal no coldre esquerdo.

1-B – Versões de Bat Masterson – Filmes

I – Ases do Gatilho (Masterson Of Kansas)
Ano: 1954
Direção: William Castle
Roteiro: Douglas Heyes
Elenco:
George Montgomery – Bat Masterson
James Griffith – Doc Holliday
Bruce Cowling – Wyatt Earp
Donald Murphy – Virgil Earp
Comentário: O filme exibe um Bat Masterson diferente em termos de visual em relação ao verdadeiro e tradicional. O ator George Montgomery, ao contrário de Gene Barry da série de TV, não veste o terno de janota, não usa o tradicional chapéu coco e muito menos a bengala característica. E nessa versão Bat Masterson carrega um cinturão com dois colts mais para o estilo de Wyatt Earp (também do seriado televisivo). O filme trata de uma possível revolta indígena e do envolvimento de um fazendeiro inocente num assassinato. Bat Masterson conta com a ajuda do polêmico pistoleiro Doc Holliday (James Griffith) para ajudá-lo na investigação e de quebra recebe com uma forcinha do delegado Wyatt Earp e de seu irmão Virgil. O filme não tem nada a ver com fatos reais ligados à história de Masterson.

II – Tiroteio em Dodge City (The Gunfight At Dodge City)
Ano: 1959
Direção: Joseph M. Newman
Roteiro: Martin Goldsmith e Daniel B. Ullman
Elenco:
Joel McCrea – Bat Masterson
Harry Lauter – Ed Masterson
Julie Adams – Pauline Howard
Comentário: Como na versão do filme de 1954, o Bat Masterson desta versão não adota o visual característico e histórico, ou seja, nada de chapéu coco ou bengala. Bat Masterson (Joel McCrea) desta vez está acompanhado do seu irmão também delegado Ed Masterson.

1-C – Versões de Bat Masterson – Seriados de Televisão

I – Bat Masterson (Bat Masterson)
Ano: 1958-1961
Produção: Ziv Television Productions
Elenco:
Gene Barry – Bat Masterson
Comentário: Gene Barry encarna um Bat Masterson sem bigodes, mas elegante, com seu característico chapéu coco, sua bengala inseparável e seu colt 45 cano curto invertido no coldre do lado esquerdo e na altura da cintura. Um autêntico almofadinha conquistador de belas damas à primeira vista, mas que endurece com os bandidos que atravessam seu caminho.

1-D – Versões de Johnny Ringo – Filmes

I – O Matador (The Gunfighter)
Ano: 1950
Direção: Henry King
Roteiro: William Bowers e William Sellers
Elenco:
Gregory Peck – Jimmy Ringo
Helen Westcott – Peggy Walsh
Millard Mitchell – Delegado Mark Street
Ricard Jaeckel - Eddie
Karl Malden – Barman (Mac)
Comentário: Uma versão romântica de um Johnny Ringo cavalheiro e arrependido com o excelente Gregory Peck. Jimmy Ringo (referência clara a Johnny Ringo) quer mudar de vida e volta a Cayene para tentar reconciliar com a mãe do filho que nunca conheceu. Por ser um pistoleiro afamado ele está sendo perseguido, e mesmo ao chegar ainda é reconhecido e desafiado por jovens pistoleiros em busca de reconhecimento e é emboscado por um pai que teve seu filho morto por Ringo. Jimmy usa dois colts 45 em posição invertida, um no cinturão do lado direito e outro debaixo das axilas do lado esquerdo (adaptado para saque rápido), ele na verdade era canhoto. Jimmy tenta neste ínterim com a ajuda do atual xerife (um ex-amigo), a reaproximação da namorada e do filho que teve com ela. Mas ele sabe que não pode demorar muito na cidade, pois estão no seu encalço, assim ele faz de tudo para reencontrar e reconquistar o amor de sua amada, só que o passado o persegue e vem cobrar sua cota sem piedade.

1-E – Versões de Johnny Ringo – Seriados de Televisão


I – Johnny Ringo (Johnny Ringo)
Ano: 1959-1960
Produção: CBS Studio Center
Elenco:
Don Durant – Johnny Ringo
Mark goddard – William ‘Cully’ Charles, Jr.
Comentário: Nessa versão para TV que contraria a história, Johnny Ringo não é um cowboy arruaceiro ou pistoleiro de aluguel, mas sim xerife da cidade Velardi, no Arizona. Promotor da lei e da ordem na região, Ringo tem como parceiro seu ajudante Cully. O trunfo de Ringo e que o salvou de inúmeras enrascadas é seu colt especial de sete balas. Quando sua munição acaba num tiroteio ele ainda tem uma bala extra que surpreende seus inimigos.

2 – Versões para Wild Bill Hickock – Filmes

I – O Pequeno Grande Homem (Little Big Man)
Ano: 1970
Direção: Arthur Penn
Roteiro: Calder Willinghan e Thomas Berger
Elenco:
Dustin Hoffman – Jack Crabb (Little Big Man)
Jeff Corey – Wild Bill Hickock
Comentário: O filme em si não trata da vida de Wild Bill Hickock. É sobre um personagem atrapalhado vivido por Dustin Hoffman que é criado por índios e que tropeça na vida de grandes personagens do velho oeste, como Wild Bill, General Custer e o grande chefe sioux Touro Sentado. A cena em que Little Big Man se encontra com um Wild Bill caricatural é interessante. Assim também como sua presença na batalha de Little Big Horn onde Custer e a 7ª Cavalaria é massacrada pelos índios sioux, cheyennes e Lakotas.

II – O Grande Búfalo Branco (The White Buffalo)
Ano: 1977
Direção: J. Lee Thompson
Roteiro: Richard Sale
Elenco:
Charles Bronson: Wild Bill Hickock
Comentário: O filme mostra um Wild Bill de óculos redondos e escuros começando a sofrer com o glaucoma, tentando se afastar dos desafios de pistoleiros em busca de fama. Ao saber que uma aldeia sioux está sendo massacrada por ataques de um enorme e sagrado búfalo branco ele decide se empenhar na caça ao animal aterrorizante e que alimenta a superstição e temor dos índios.

III – Wild Bill – Uma Lenda do Oeste (Wild Bill)
Ano: 1995
Direção e roteiro: Walter Hill
Elenco:
Jeff Bridges – Wild Bill Hickock
Ellen Barkin – Calamity Jane
Keith Carradine – Buffalo Bill
David Arquette – Jack McCall
Comentário: Para mim, uma excelente versão sobre a vida de Wild Bill Hickcok. Jeff Bridges está muito bem na sua interpretação e passa muito bem o sofrimento de Wild Bill com seu glaucoma, seu temperamento explosivo, sua solidão e tormento impostos pela fama. No filme é enfatizado sua relação mais carnal que amorosa com Jane Calamity e sua obessão pelas cartas e seu vício pelo cachimbo chinês de ópio. O filme não omite sua tentativa desastrosa como ator no circo de Buffalo Bill no leste. Wild Bill antes de Wyatt Earp surgir, era a opção mais efetiva para lei e ordem no velho oeste, tornando-o um alvo a ser abatido por bandoleiros e pistoleiros em busca de fama; e assim aconteceu da forma mais covarde, como foi precisamente demonstrado no filme. Foi um polêmico personagem, mas real e verdadeiramente um herói do velho oeste.

2-A – Versões de Wild Bill Hickock – Seriados de Televisão

I – O Valente do Oeste (The Adventures Of Wild Bill Hickock)
Ano: 1951-1956
Produção: Screem Gems / Newhall Productions
Elenco:
Guy Madison – (Wild) Bill Hickock
Andy Devine - Jingles
Comentário: Guy Madison faz o papel de um jovem e simpático Bill Hickock ainda assim justiceiro que persegue malfeitores pelo velho oeste. Nessa versão Hickock não se apresenta com cabelos longos e vastos bigodes, seu aspecto é mais comportado. Na série Hickock usa dois colts 45 de seis tiros invertidos nos coldres e não os tradicionais e longos colts navy de cinco tiros que eram usados na realidade pelo verdadeiro Wild Bill. Este ainda tem a companhia inseparável do amigo gorducho e trapalhão chamado Jingles.

II – Deadwood (Deadwood)
Ano: 2004-2006
Produção: HBO
Elenco:
Timothy Olyphant – Seth Bullock
Keith Carradine – Wild Bill Hickcok
Comentário: O seriado não trata exclusivamente do personagem Wild Bill Hickock, ele é apenas mais um dentre vários que vivem em Deadwood, uma cidade que vive basicamente da mineração e da jogatina nos saloons, um lugar para exploradores e aventureiros onde Bill Hickock divide as ações, dramas e tramas com alguns personagens regulares. Volta e meia figuras como Jane Calamity, Wyatt Earp ou Bat Masterson podem aparecer. Deadwood é onde Wild Bill foi assassinado.

3 – Versões de Buffalo Bill – Filmes

I –Buffalo Bill (Buffalo Bill)
Ano: 1944
Direção: William A. Wellman
Roteiro: Aeneas Mackenzie, Clements Ripley, Cecile Kramer e Frank Winch
Elenco:
Joel McCrea – Buffalo Bill
Antony Quinn – Chefe Mão Amarela (Yellow Hand Chief)
Comentário: Uma versão heróica de Buffalo Bill, de sua passagem como scout, caçador de búfalos (na verdade, bisões), casamento, seu duelo com o chefe Cheyenne Mão Amarela, seu envolvimento com a política, até a realização do Wild West Show.

II – Buffalo Bill (Buffalo Bill And The Indians, or Sitting Bull’s History Lesson)
Ano: 1976
Direção: Artur Penn
Roteiro: Calder Willingham e Thomas Berger
Elenco:
Paul Newman – Buffalo Bill
Frank Kaquitts – Sitting Bull (Touro Sentado)
Geraldine Chaplin – Annie Oakley
Comentário: O filme praticamente revela um Buffalo Bill Cody decadente, alcoólatra e falastrão obcecado pelo sucesso de seu show onde reproduz algumas de suas aventuras vividas no velho oeste por meio de encenações teatrais que beiram quase ao ridículo num circo. Ele divide as atenções com outros artistas como a famosa Annie Oakley que ficou famosa por sua mira certeira com o rifle (winchester); e o chefe sioux Touro Sentado (Sitting Bull), já idoso e doente mas famoso por ter liquidado o General Custer e a 7ª Cavalaria com o apoio do chefe Lakota Cavalo Doido. Na verdade Touro Sentado tinha seus motivos particulares para aceitar o convite de Bill Cody para participar do Wild West Show.

4 – Versões de General Custer – Filmes

I – Custer – O Homem do Oeste (Custer Of The West)
Ano: 1967
Direção: Robert Siodmark
Roteiro: Bernard Gordon e Julian Zimet
Elenco:
Robert Shaw – General Custer
Comentário: Uma versão romantizada do General Custer, na qual ele é tratado como um verdadeiro herói nacional e que tem uma morte honrosa em Little Big Horn ao cair numa cilada mortal preparada pelo chefe sioux Touro Sentado.

II – O Pequeno Grande Homem (Little Big Man)
Ano: 1970
Direção: Arthur Penn
Roteiro: Calder Willinghan e Thomas Berger
Elenco:
Dustin Hoffman – Jack Crabb (Little Big Man)
Richard Mulligan – General Custer
Comentário: O filme em si não trata da vida do General Custer. É sobre um personagem atrapalhado vivido por Dustin Hoffman que é criado por índios e que tropeça na vida de grandes personagens do velho oeste, como General Custer e o grande chefe sioux Touro Sentado e Wild Bill Hickock. O personagem de Hoffman (Crabb) se encontra casualmente com Custer (Mulligan) e sua tropa e praticamente os leva ao cerco de Little Big Horn onde o lendário General e sua 7ª Cavalaria é massacrada pelos índios sioux, cheyennes e lakotas. Jack Crabb é poupado pelo chefe sioux que o reconhece. A cena da batalha é incrivelmente dramática e bem filmada.

4-A – Versões de General Custer – Seriados de Televisão

I – Custer (The Legend Of Custer)
Ano: 1967
Produção: ABC Television
Elenco:
Wayne Maunder – (Tenente-coronel) Custer
Slim Pickens – Califórnia Joe
Michael Dante – Chefe Cavalo Doido (Chief Crazy Horse)
Comentário: No Fort Hays o ainda jovem e valente Tenente-coronel Custer vive várias aventuras ao lado do scout e amigo California Joe muito antes de se tornar o famoso General morto em Littel Big Horn pelo chefe Cavalo Doido.

5 - Versões de Jesse James – Filmes

I – Jesse James (Jesse James)
Ano: 1939
Direção: Henry King
Roteiro: Nunnaly Johnson
Elenco:
Tyrone Power – Jesse James
Henry Fonda – Frank James
John Carradine – Robert ‘Bob’ Ford
Charles Tanner – Charles Ford
Comentário: Uma das primeiras versões para Jesse James do cinema, onde mostra os irmãos James a princípio como agricultores pacatos que são molestados por representantes das grandes companhias férreas que querem tomar-lhe as terras, a morte da sua mãe, a guerra civil, e o ingresso dos irmãos James na guerrilha contra a União que posteriormente os destinou para uma vida de fora-da-lei.

II – I Shot Jesse James (Eu matei Jesse James)
Ano:1949
Direção: Samuel Fuller
Roteiro: Homer Croy e Samuel Fuller
Elenco:
John Ireland: Robert “Bob” Ford
Reed Hadley: Jesse James
Tom Tyler: Frank James
Preston Foster – John Kelly
Comentário: O filme gira em torno da vida de Bob Ford (John Ireland) após o mesmo ter assassinado covardemente seu companheiro Jesse James (Reed Hadley). Ele é perdoado pela justiça mas é perseguido pelo fantasma de James que se tornou uma figura muito popular após sua morte. Bob se casa e tenta levar sua vida normalmente, mas acaba descobrindo que isso não era possível para o traiçoeiro assassino de Jesse James.

III – Cavalgada de Proscritos (The Long Riders)
Ano: 1980
Direção: Walter Hill
Roteiro: Bill Bryden e Steven Smith
Elenco:
James Keach – Jesse James
Stacy Keach – Frank James
David Carradine – Cole Younger
Keith Carradine – Jim Younger
Robert Carradine – Bob Younger
Cristopher Guest – Charlie Ford
Nicolas Guest – Robert ‘Bob’ Ford
Comentário: Excelente filme sobre os irmãos James e os Younger que se juntam e se tornam um dos mais temidos bandos de assaltantes do velho oeste. O interessante é que os atores foram escolhidos a dedo, pois James e Stacy Keach são verdadeiramente irmãos assim como também David e Keith Carradine e os demais, idem como os irmãos Guest, dando mais credibilidade à versão apresentada. A cena da fuga do bando à cavalo depois de serem surpreendidos e cercados no centro da cidade durante um assalto a um banco é memorável.

IV – O Assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford (The Assassination Of Jesse James By The Coward Robert Ford)
Ano: 2007
Direção: Andrew Dominik
Roteiro: Andrew Dominik e Ron Hansen
Elenco:
Brad Pitt – Jesse James
Sam Shepard – Frank James
Casey Affleck – Robert Ford
Sam Rockwell – Charley Ford
Comentário: Nessa versão sobre um Jesse James desgastado, o enfoque maior está no relacionamento conflituoso dele com sua quadrilha e sua necessidade de voltar sua atenção para a família. Aborda também os motivos que levaram os irmãos Ford se aproximarem do bando que tanto admiravam e ao mesmo tempo terem que lutar contra tentadora oportunidade de assassinarem o famoso Jesse James em troca de reconhecimento público.

5 – A – Versões de Jesse James – Seriados de Televisão

I – A Lenda de Jesse James (The Legend Of Jesse James)
Ano: 1965-1966
Produção: ABC Television
Elenco:
Chris Jones – Jesse James
Allan Case – Frank James
Bob Wilke – Delegado Sam Corbett
John Miford – Cole Younger
Tim McIntire – Bob Younger
Comentário: Um seriado que tinha para tudo para dar certo, mas que não passou de uma temporada. Mostra uma versão dos irmãos James ainda no caminho do bem.

6 – Versões de Billy The Kid – Filmes

I – Billy The Kid (Billy The Kid)
Ano: 1930
Direção: King Vidor
Roteiro: Walter Noble Burns e Wanda Tucock
Elenco:
Johnny Mack Brown – Billy The Kid
Wallace Beery – Pat Garret
Comentário: Um dos primeiros filmes sobre a saga de Billy The Kid.

II – Billy The Kid (Billy The Kid)
Ano: 1941
Direção: David Miller
Roteiro: Walter Noble Burns
Elenco:
Robert Taylor – Billy The Kid
Brian Donlevy – Jim Sherwood (Pat Garret)
Comentário: Uma versão romantizada sobre o famoso fora-da-lei interpretado pelo galã da época, Robert Taylor. Mostra um Billy The Kid com certos valores morais, mas que se envereda pelo crime ao ter seu patrão assassinado. Ele se vinga mas é perseguido pelo delegado Jim Sherwood, que na realidade seria Pat Garret.

III – Pat Garret & Bily The Kid (Pat Garret & Billy The Kid)
Ano: 1973
Direção: Sam Peckinpah
Roteiro: Rudy Wurlitzer
Elenco:
Kris Kristofferson – Billy The Kid
James Coburn – Pat Garret
Jason Roberts – Governador Wallace
Comentário: Uma versão mais próxima da realidade de como era as personalidades diferentes de Billy The Kid e Pat Garret. Se destaca inicialmente a amizade entre Billy e Pat no caminho do crime até a separação definitiva de ambos para tomarem rumos opostos que os levaria a um reencontro definitivo e mortal. A meu ver o ator Kris Kristofferson estava um pouco maduro para representar um “kid” (garoto) fora-da-lei.

IV – Os Jovens Pistoleiros (Young Guns)
Ano: 1988
Direção: Christopher Cain
Roteiro: John Fusco
Elenco:
Emilio Estevez – Billy The Kid
Patrick Waye – Pat Garret
Kiefer Sutherland – Doc Scurlock
Charlie Sheen – Richard “Dick” Brewer
Comentário: O ator Emilio Estevez se encaixou muito bem no papel de Billy, pois ele tem naturalmente uma expressão sarcástica e irônica de um garoto rebelde, mas carismático. O filme não se trata de uma biografia do famoso The Kid fora-da-lei e sim de sua busca por vingança junto ao seu bando a outro grupo que teria assassinado seu amigo. O delegado Pat Garret já estaria em seu encalço.

V – Jovens Demais para Morrer (Young Guns II)
Ano: 1990
Direção: Geoff Murphy
Roteiro: John Fusco
Elenco:
Emilio Estevez: Billy The Kid
William Petersen – Patrick Floyd “Pat” Garret
Kiefer Sutherland – Joshua Gordon “Doc” Scurloc
Comentário: Pode se dizer que essa ótima versão seria uma continuação de Os Jovens Pistoleiros, pois se repetiu quase que totalmente o elenco principal de Young Guns I. Emilio Estevez encarna novamente e com competência o personagem Billy The Kid, o diferencial é que outro ator faz o papel de Pat Garret, no caso William Petersen. Desta vez é explorado o relacionamento inicial de Billy e Pat Garret no bando, as perseguições da lei, a promessa do perdão governamental, o afastamento de Pat para se tornar delegado e perseguir o velho companheiro que não quis se entregar. O destaque fica como sempre para o final onde Pat surpreende Billy em seu próprio domínio.

7 – Versões de Butch Cassidy & The Sundance Kid - Filmes

I – Butch Cassidy & The Sundance Kid
Ano: 1969
Direção: George Roy Hill
Roteiro: William Goldman
Elenco:
Paul Newman: Butch Cassidy
Robert Redford: Sundance Kid
Katharine Ross – Etta Place
Jeff Corey: Xerife Steve Bledsoe
Comentário: O filme tenta mostrar a trajetória da dupla de assaltantes das mais famosas do oeste norte-americano e da américa do sul. Butch Cassidy e Sundance Kid tinham um bando, os Wild Bunch, que assaltaram trens e bancos à vontade até serem perseguidos implacavelmente pela lei fazendo-os dispersarem. Butch e Sundance percebendo que as coisas estavam mudando para a pior (para os fora-da-lei) no velho oeste decidem ir para a América do Sul achando que por lá tudo seria mais fácil. E no início assim foi, até ficarem manjados como os “gringos” assaltantes de bancos. Quando chegam na Bolívia na companhia da Etta Place, as coisas pioram, o dinheiro acaba e o cerco do exército boliviano se fecha.

Espero que tenham gostado da seleção de filmes de faroeste que fiz e aconselho a todos a assistir a cada um deles, se possível, e que essa pesquisa seja um guia para comparação entre a realidade e ficção dos acontecimentos que envolveram os personagens acima citados.

Eumário J. Teixeira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário